logo

Entenda como funciona um galpão de compostagem. Cada município do CRS Crateús receberá um galpão

Dentre as técnicas de tratamento disponíveis para a fração de resíduos orgânicos oriunda da coleta urbana, uma que se destaca pelo grande alcance, em vista da sua simplicidade, praticidade e dos resultados atingidos é a compostagem.

A compostagem possibilita a transformação de resíduos orgânicos em um composto de grande valor fertilizante para as plantas e solo. Trata-se de um processo que permite a reciclagem dos resíduos orgânicos, possibilitando seu reaproveitamento em detrimento da mera disposição final, que no geral implica em impactos ambientais negativos.

Foto: Representação do galpão de compostagem

Na Região Sertão de Crateús serão implantados 8 galpões de compostagem (um em cada CMR) nos Municípios de Ipueiras, Ipu, Hidrolândia, Tamboril, Nova Russas, Catunda, Monsenhor Tabosa e Poranga.

Cada galpão de compostagem terá a finalidade de transformar resíduos orgânicos como restos de alimentos provenientes de restaurantes, supermercados, feiras, bagaços, cascas de frutas e legumes, poda de árvores, resíduos orgânicos domiciliares, dentre outros em fertilizante orgânico composto (húmus) que poderá ser usado na agricultura.

O galpão será separado em 5 áreas distintas que são elas: Baias de rodízio, área de recepção e mistura, área de estoque de material, área de maturação e resfriamento e área de peneiramento. O processo de compostagem se encerrará entre 45 e 60 dias.

Compartilhe o Post

Mais Notícias